I Ciclo de Palestras “O MP é Notícia” apresenta Ministério Público a profissionais da comunicação; jornalista aborda valor da fonte na imprensa investigativa

16.03.2016

 

 

E o Ministério Público do Estado de Alagoas foi notícia mais uma vez. Com mais de cem jornalistas, profissionais autônomos e estudantes presentes, o I Ciclo de Palestras homônimo foi um sucesso de público, que lotou, nesta segunda-feira (14), o auditório da Procuradoria Geral de Justiça para conhecer melhor a instituição sempre presente nas matérias dos veículos de comunicação. Como contrapeso da balança, os membros e servidores da Casa puderam acompanhar um pouco do que existe de melhor no jornalismo investigativo brasileiro e o seu modus operandi.

 

O órgão ministerial já estava customizado para receber os participantes do evento, quando o procurador-geral de Justiça, Sérgio Jucá, deu início às apresentações da noite com a palestra O papel do Ministério Público: qual é a sua função no sistema de Justiça e em que situações atuam um promotor e um procurador de Justiça?. “Todos nós, tal como todos vocês, da imprensa alagoana, estão imbuídos do mesmo propósito: dar a cada um o que é seu. Essa é a vocação do Ministério Público. Enquanto membros dessa instituição, temos o dever de garantir direitos e de garanti-lo quando alguém os tiver ameaçado ou mesmo violado. O mesmo cuidado se dá com a imprensa”, destacou o chefe do MPE/AL, que completa em maio 44 anos como membro da instituição.

 

Em nome da organização do I Ciclo de Palestras "O MP é Notícia", a jornalista e diretora de Comunicação Social do MPE/AL, Janaina Ribeiro, comemorou a realização do evento. “Ele finalmente saiu do papel. Desde a sua ideia inicial, passando pela concepção do projeto, até vê-lo tomar forma, passou-se mais de um ano. Cada tema, cada palestrante, foi pensado com o desejo de oferecer o melhor conteúdo aos colegas jornalistas e radialistas aqui de Alagoas. Nós que fazemos a Comunicação Social do MPE queremos que vocês realmente conheçam mais detalhadamente o papel dessa instituição que zela pela observância das leis e da Constituição, pela defesa dos patrimônios nacional, público e social e pela segurança dos interesses coletivos e individuais indisponíveis!”, disse.

 

Patrimônio público e jornalismo investigativo

 

O segundo palestrante da noite foi o promotor e coordenador do Núcleo de Defesa do Patrimônio Público de Justiça José Carlos Castro, que abordou o tema O Ministério Público na área cível: dos inquéritos civis às ações por ato de improbidade administrativa. Nós temos atribuições diversas no campo de proteção ao patrimônio público e social, meio ambiente, consumidor, infância, idosos, pessoas com deficiência e outros direitos difusos e coletivos direitos difusos e coletivos. Por isso não é a toa que os promotores de Justiça são uma excelente fone de notícia. Se nós atuamos na proteção de tantos direitos, é difícil não ter menção do Ministério Público na imprensa”, afirmou.

 

Na sequência, a atração jornalística da noite, o editor digital do Jornal Extra (RJ), Fábio Gusmão, discorreu sobre O poder da fonte na construção do conteúdo jornalístico investigativo. Segundo o jornalista, "a fonte é a base da construção de boas reportagens, investigações. É da coragem delas que conseguimos revelar os segredos de agentes públicos e privados que são avessos à legalidade. E é justamente a fonte que aproxima tanto o trabalho do Ministério Público e da imprensa". O palestrante é autor do livro "Dona Vitória da Paz", obra fruto da série de reportagens "Janela Indiscreta", que lhe rendeu o maior prêmio de jornalismo do Brasil, o Esso, em 2005. Ele também já foi vencedor dos Prêmios Tim Lopes de Jornalismo Investigativo, Embratel, Direitos Humanos de Jornalismo e Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos.

 

O evento contou ainda com a apresentação do saxofonista Keffas Marttins e do grupo Transart, que encantaram o público presente com a sua música e balé folclórico de Alagoas, respectivamente.

 

“O MP é Notícia”

 

Idealizado pela Diretoria de Comunicação Social do MPE/AL, o evento tem três principais objetivos: fazer com que a imprensa entenda melhor o papel do Ministério Público; estreitar, ainda mais, a relação do órgão com os veículos de comunicação; e permitir a troca de experiências entre os palestrantes convidados e os jornalistas e radialistas alagoanos. Confira a programação desta terça-feira (15):

 

18h30 - O papel do MP como órgão acusatório nas diferentes práticas de crime e o Tribunal do Júri - Marluce Falcão e Marília Cerqueira, promotoras de Justiça

19h20 - O Gecoc e o combate às organizações criminosas em Alagoas - Antônio Luiz dos Santos, Luiz Tenório, Hamílton Carneiro, Elísio Maia e Carlos Davi Lopes, promotores de Justiça

20h10 - Debate

20h30 - Os dilemas entre fonte e repórter: preservar a informação ou dar a notícia? - Leslie Leitão, repórter investigativo da Revista Veja

21h30 - Debate

21h50 - Coquetel

Please reload

Notícias Recentes
Please reload

Arquivos
Please reload

Siga nos
  • Facebook Basic Square